Quase 20h e estão 37º

25 de junho de 2012

Fui abandonada pela minha prole, que seguiu com o pai para a praia, num fim de tarde de muito calor. Já eu tive de ficar a cumprir as minhas obrigações de encarregada de educação, na última reunião do ano. Teve muito boas notas nas últimas fichas de avaliação (87% a Português, 90% a Estudo do Meio e fiquei especialmente contente com o 86% a Matemática, que é a disciplina a que tem mais dificuldade, culpa dos problemas) e, pelo que me foi dado a ver, podiam ter sido melhores ainda. Muitos erros de pura desconcentração.
O 2º ano já faz parte da história. Transitou com bom aproveitamento para o 3º ano. 
Recomendação final: "Em férias deverá ler e redigir a fim de evitar os erros de ortografia que, por vezes, surgiam."
Esperam-lhe algumas cópias e tenho de lhe arranjar um livro para ler, portanto.

Almoço e tarde entre amigos

24 de junho de 2012







Muito calor, miúdos eléctricos, comida boa, paisagem maravilhosa e os meus amigos e família ao pé de mim. Nem todos puderam vir mas estiveram no meu coração. 

Cupcakes com cheiro a Verão

24 de junho de 2012



Versão do bolo de ontem, em formato cupcake.

Foi um belo dia

24 de junho de 2012






Com quem mais amo, com sol e calor, no sítio mais lindo do mundo e com um vestido simples, que adorei estrear. 
Passei a ser apelidada pelo meu pai de "minha alfacezinha frisada", por conta da cor do dito vestido. E ser mimada sabe muito bem. Não podia pedir mais.
À noite ainda demos um saltinho a Lisboa com dois casais amigos e fomos comer umas belas dumas sardinhas ali para os lados da Sé, mas os miúdos estavam tão moídos que após o jantar foi-se-lhes a energia e imploraram por cama. Valeu pelo jantar.
Mas como a felicidade pode e deve ser prolongada, hoje tenho comigo mais amigos. Aguarda-me uma tarde bem passada. Assim o espero. 
Vou colocar o frosting nos meus cupcakes, que já estão a arrefecer. Quase posso dizer que gosto tanto de mimos como gosto de mimar.

Contagem decrescente

22 de junho de 2012


Tenho meu bolo de aniversário no forno. O meu forno já teve melhores dias...
Resta-me esperar que dê pelo menos para cortar ao meio e rechear com chantilly e morangos, como eu idealizei. 
Tal como no dia em que nasci, há 33 anos atrás, vou celebrar num sábado a minha chegada ao mundo. Continuam a ser dias de festa e alegria, para mim. Quero sempre velas para soprar, bolo para partilhar com a minha família e amigos. A vida é uma benção que agradeço a Deus, todos os dias. 

Sem chuva, não há arco-íris

17 de junho de 2012


É verdade que não gosto de me agarrar às lamentações sobre o que me angustia os dias. Parece que, de algum modo passa a ser tudo mais real quando é partilhado. Mas o que é certo é que espero mesmo que passe a chuva e chegue o meu arco-íris. Eu tento ir dançando nos intervalos da chuva, mas preferia regalar-me com a calmaria de um dia de sol. Só para variar um bocadinho. 
Para já, agarro-me aos versículos que dizem:
" Regozijai-vos sempre. Orai sem cessar. Em tudo dai graças, pois esta é a vontade de Deus, em Cristo Jesus, para convosco."
I Tessalonicensses 5:16-18

Recomendamos

17 de junho de 2012


Este foi um livro que me tocou, no início da minha adolescência. Amei partilhá-la com os meus filhos e penso que não poderia ter havido melhor forma de lhes despertar a curiosidade para um dia lerem a história.

16 de junho de 2012


O meu homem pequeno, de perfil sério e charmoso. Longas pestanas em riste e a sua poupa preciosa que protege tão zelosamente, qual rei do rock. 
As fotografias têm esta magia, de congelar um segundo de vida no nosso olhar, para sempre. 

Brincadeiras com o avô

16 de junho de 2012


Sei bem o que é rodopiar nestes braços a alta velocidade. Saudades...

Último dia de aulas

15 de junho de 2012


Foi dia de festa e arraial. A minha caçula recebeu o seu diploma. O pré escolar chegou ao fim. Um novo ciclo se aproxima, depois das férias de verão. 
Disse adeus a alguns amigos, que vão mudar de escola. E eu não contive a emoção de ver chegar ao fim esta etapa. Etapa que não reviverei mais. Acho que foi isso que me fez chegar às lágrimas desta vez, por oposição ao dia em que o Gabriel passou pelo mesmo.


Peaceful morning

12 de junho de 2012

Hoje o mais velho foi para as marchas. Antes das 8:30 já tinha ido embora com o pai, que o deixou na escola. Como só entro às 11h, posso gozar estas horas matutinas com a pequena, que já tomou o pequeno almoço e agora faz o que mais gosta, no chão da sala...pintar.
Desejo que esta semana termine rápido. O ano lectivo chega ao fim na sexta feira. Abrandar o ritmo é imperativo. Na próxima semana tenho uma entrevista, no meio de muitas seleccionadas, mas espero que Deus esteja ao leme do rumo dos acontecimentos e que, se for da Sua vontade, eu possa conseguir o emprego. Seria bom começar Setembro num novo trabalho, sem ter de passar pelo desemprego novamente.
Amanhã é dia de gazeta (menos para mim), pois o pai tem o feriado de Lisboa. Nesta altura aproveitam-se quaisquer brechas de descanso, num ensaio para as férias, que só devem chegar em Agosto.

Preguiça de fim de semana

10 de junho de 2012


Ou o mesmo que dizer que estas imagens me fazem feliz e me enchem de paz. Acabou-se o silêncio da minha manhã, em que ouvi a música que quis, sem interrupções, enquanto cantava e dançava a engomar a roupa deles. 
Agora volto a ser mãe e sinto-me com as baterias recarregadas para mais uma tarde de perguntas, discussões e birras. 
A solidão até é boa, quando sabemos que não é para sempre.

Coisas bonitas, pela manhã

10 de junho de 2012


Domingo

10 de junho de 2012

Eles foram para os Tições, o pai vai jogar à bola e eu vou engomar roupa, tomar um banho e pensar no que fazer para o almoço. 
Por vezes, os dias banais, em que fazemos coisas banais são reconfortantes. Só tenho pena que hoje tenhamos um céu cinzento. 

Auch!!!!

9 de junho de 2012

A expressão "pisarem-me os calos" ganhou novo significado para mim e toda uma nova dimensão de dor. 
De facto, é preciso ter um calo...e ser-se pisado. 

Vício, cá em casa...meu e dela

8 de junho de 2012





Agora andamos assim

8 de junho de 2012

- mãe, não quero morrer nunca, nem quero que tu morras! 
- Quero estar contigo para sempre. Adoro-te imenso!
[Diana]

Amo

7 de junho de 2012

[sobrinho João Pedro, 2 anos]

Os pezinhos e o seu dono. 

Os lugares mágicos da nossa infância

7 de junho de 2012









Desses lugares fazem parte muitos cheiros, cores...quem sabe, uma luz diferente, sons inigualáveis. O lugar onde cresci e de onde saí já vai fazer 10 anos é, sem qualquer dúvida, um lugar onde poderei voltar milhares de vezes e ser sempre feliz. Para os meus filhos será o lugar onde vivem os avós e os primos. Há falta de uma terrinha, como eu tive, para ir nas férias, isto é a versão citadina do nosso bocadinho de paraíso e acredito que guardarão dele as melhores memórias. Foi mais um feriado, junto de quem se gosta e de quem gosta de nós.

:'(

5 de junho de 2012

Há notícias que nos anestesiam, nos deixam dormentes. Vêm como um soco no estômago, quando não estamos preparados para o embate, e deixam-nos em KO total. Acontecimentos que nos iam inundar de alegria passam a ser um marco de profunda tristeza e dor. Nenhuma mãe devia passar por isto.

Blog B-Day

4 de junho de 2012

Comecei nestas andanças, de ter um blog, durante a licença de maternidade do Gabriel. Corria o mês de Maio, do ano de 2005. Entretanto, com a mania de mexer em algo que não conhecia, apaguei o primeiro mês de blog. Comecei de novo, em meados de Junho. O Gabriel tinha 6 meses e já estava mais ou menos domesticado, o que me deixava alguns momentos livres para ir ao computador. Conheci este mundo, na altura bastante recente, através de um site em que, entre muitos assuntos, havia um forum de mães, como eu, em que podíamos trocar experiências e dúvidas. Era o M&C, Mamãs e Companhia. Foi lá que li os meus primeiros blogs. O da Célia, o da Sofia, o da Lara. Através desses cheguei a tantos outros, que começaram a povoar as minhas leituras diárias, o Costinhas, A Ervilha, o Histórias da Mamã e tantos, tantos outros que se tivesse de os enumerar a todos não saíamos daqui hoje. 
A brincar, a brincar já lá vão 7 anos. Tive o privilégio de passar por outra gravidez já com tantas amizades feitas através deste ecrã, muitas delas com a alegria de se tornarem um pouco mais reais e palpáveis através de alguns encontros. Tive o blog privado bastante tempo, entre o final de 2006 e o início de 2012. Está público, como nos primórdios, há cerca de 4 meses. Assim se manterá até eu me sentir bem com isso. Continuo a retirar desta experiência, mais bom do que mau e enquanto assim for, por aqui me verão mais anos. Escrever sempre foi uma necessidade, desde jovem, e poder fazê-lo aqui tem sido uma aventura muito gratificante. Ao contrário do que tanto se expeculava acerca da exposição dos filhos em fotos (que eu trato sempre de verificar se são adequadas, com cuidado, quando publico), eles já nasceram numa era tão tecnológica, que em nada se incomodam, pelo contrário, já me interpelam em inúmeras ocasiões, ó mãe tira lá uma foto a isto para pores no teu blog. Sabem que é o meu livro de memórias, as histórias da mãe, da família, deles próprios. Às vezes o que mais me inquieta é a incógnita de saber o que sentirão um dia, quando puderem ler tudo o que aqui está contido. 
Espero que os poucos que continuam desse lado possam continuar a apreciar o que aqui vou partilhando.

Dia de sol

3 de junho de 2012

Foi a estreia do ano nas sardinhas e nas cerejas. Que bem que soube! 
Depois fomos até ao Alvito, para delícia dos miúdos. A Diana deixou escapar que estava no paraíso. Não pararam dois segundos e foram intimados para virmos embora. Já tivemos a idade deles, sei bem o bom que era ir ao parque. 29º, marcava o termómetro de rua. E pensar que ontem esteve de chuva.










Despertar à bruta

3 de junho de 2012

Os meus filhos têm uma propensão para falar de temas da vida, particularmente complexos, ou de manhãzinha ou há noite. Ora é sempre quando o cérebro da mãezinha está ou a fazer iniciar ou a fazer shut down. Anyway, não tendo hipótese, tenho de acelerar ou de travar a coisa, conforme. Hoje começámos em asneiras e no que significavam, logo ali por altura em que se mastigava o Chocapic, avançámos para o quando é que se sai de casa dos pais (sendo que o mais velho tinha ideia que eram os pais que, a dada altura, arrumavam a trouxa e iam para um sítio mais aconchegado enquanto ele ficava na nossa casa de sempre, tive que o esclarecer antes que fosse surpreendida por uma ordem de despejo dentro de vinte anos [ó p'ra mim super optimista!]). E as conversas são mesmo como as cerejas e falou-se de casamento e de viver-se sozinho e de se ter filhos.
As maiores pérolas foram estas:
- ó mãe, ainda bem que escolheste o pai. Era mesmo a vocês que eu queria! [Diana dixit]
- ó mãe, deve ser assim chato teres de tomar os comprimidos todos os dias. Podias não tomar e tínhamos um irmão ou uma irmã. [Gabriel dixit]
E se não estava acordada, passei a estar. O que tem de ser, tem muita força. 
And I wouldn't wanted it any other way.

Sábado

3 de junho de 2012


Quão bom é este dia...
Rodeados de família e amigos torna-se ainda melhor. 
Nem a chuva estragou a harmonia e lá bebemos um chocolate quente, em Junho. 

Dia da Criança

1 de junho de 2012



Neste dia, por entre os momentos em que tento fazer os meus filhos felizes, como em qualquer dia do ano, penso em todas as crianças que ainda continuam a lutar com doenças graves, que ainda têm fome, que ainda são maltratadas, que nunca tiveram uma família...cujo direito a serem felizes lhes é negado ou dificultado. 
Proudly designed by | MLEKOSHI PLAYGROUND |