E foi assim ♥

29 de abril de 2016


Ficou muito feliz! E eu também. Agora é esperar que faça bom uso dele e que não seja "sol de pouca dura".

Do eczema agudo crónico no ouvido

28 de abril de 2016

Saudades de ter uma audição stereo.
Saudades de dormir uma noite seguida, de 7/8 horas, tipo pedra, sem me lembrar de nada. 
Ofereço olheiras.

Coisas de mãe

28 de abril de 2016

Há pouco mais de um mês a Diana começou a ter aulas de música. Uma querida amiga, que é professora de violino, ofereceu-se para ensinar pro-bono, 2 vezes por mês, quem desejasse aprender.
E ela quis. 
Hoje, depois de muitas contas de cabeça, comprei-lhe um violino, em segunda mão.
Estou desejosa de ver a cara dela, logo à tarde, quando lho der.

Feriado

26 de abril de 2016

E este foi um fim-de-semana ainda melhor porque tivémos direito a um dia extra. Para além de ser o Dia da Liberdade, é também o dia em que celebramos o aniversário do meu sobrinho João Pedro.
Aproveitámos o sol (vantagens de morar "a dois passos" da Costa da Caparica) e depois experimentámos o restaurante Pita.gr. Recomendamos!
E já lá vão 6 anos de Johnny P. neste mundo. ♥

Da vidinha

26 de abril de 2016

Finalmente tivémos um fim-de-semana de sol. Larguei de vez as pantufas e pus os pés ao ar, nos meus flip-flop.
Também voltei às origens e comprei o Benamor (creme de rosto que já a minha avó usava, que a minha mãe usou e agora chega a minha vez de continuar a tradição). Passem no Café na Drogaria. Para além de venderem este creme e outros produtos antigos portugueses também há café, sumos naturais, tostas e bolos variados. Adoro a zona onde trabalho.
 No sábado a minha sobrinha veio dormir cá em casa (acontecimento que, por elas, era prerrogativa de todos os fins-de-semana). No dia a seguir fomos tomar o pequeno-almoço fora (yu-hu!) e depois de comprarmos a prenda de aniversário para o João, fomos à loja low-cost sensação do Almada Forum, onde eu ainda não tinha colocado o pézinho. 
Fiz beijinhos de côco e um bolo-pudim e, não fosse o raio do forno andar a falhar-me como as notas de mil, teria sido um sucesso visual, tanto quanto foi para as papilas gustativas. Mas não. Só 70% do pudim é que ficou cozido. Claro que se comeu, esbarrondado ou não. Estava 5*!

Habemus fato-de-banho

26 de abril de 2016

 made by {hopiness} ♥

O corpinho é que não é o da modelo, o que é pena...mas enfim. Há coisas piores. ☺

Quanto mais velhos...

21 de abril de 2016

Isto de lidar com a mentira, para mim, até agora, tem sido das coisas mais difíceis na educação deles.
Ela tem sido sempre uma criança frontal, que assume as asneiras, que "oferece o peito às balas".
Com ele a história tem sido outra bem diferente e, nesta fase, em que já vai a caminho dos 12 anos, é coisa que me deixa triste, frustrada e até preocupada.
Têm sido vários os episódios. Têm sido várias as conversas, as chamadas de atenção. Mas, infelizmente, os casos continuam a acontecer.
Ontem foi mais um. Liguei-lhe para que tomasse banho, estava ainda em Lisboa. Sim, senhor. Ok. Tudo muito bem. Chegámos a casa, alô criançada, e o dia como foi e tudo e tudo. Ele já estava de pijama. Ok. Tomou banho. Mas eis que reparo que as meias não foram trocadas. E eis que o confronto. 
- olha lá, filho, tomaste banho, como te pedi?
- tomei.
- então porque é que tens calçadas as mesmas meias sujas?
- ah, esqueci-me de mudar.
Nesta altura, desconfiada ao máximo, puxo-o para junto de mim e cheiro-lhe o cabelo.
O óbvio aroma de quem não fez uso da água e do shampoo.
Mentiu. Foi descoberto e, ainda assim, insistiu na mentira inicial.
O pavio do meu marido é infinitamente mais curto que o meu e os seus métodos estão longe de serem totalmente pedagógicos (eu só sou um ogre depois das 22h, tipo cinderela versão alternativa, porque acordo às 6h da matina e a minha paciência precisa de recarga ao fim de mais de doze horas "acordada"). 
Eu sou um bocado "What??", reajo logo à bruta e mando um grito, mas depois converso. O pai é um bocado assert(gress)ivo com as palavras. Digamos que, atinge nevralgicamente a auto-estima dele, para o chocar e provocar-lhe alguma reação. Isto porquê?
Depois de ter ralhado com ele, de lhe ter manifestado a minha desilusão a criatura foi tomar banho sem ter admitido a mentira, cantou o tempo todo, não se esforçou minimamente por ser rápido a realizar a tarefa. Teve de ser chamado à atenção também por isso e estava como se nada fosse. 
Eu penso em mim, com a idade dele na mesma situação. Era coisa para me pôr doente e a piar muito fininho e andar sobre cascas de ovo com os meus pais.
Ao jantar voltei à carga. Muito diplomática e calma, explicando-lhe tudo isto.
Ele tem uma tremenda dificuldade em nos olhar nos olhos quando estamos a falar com ele depois de um desaire. Tenho de pedir constantemente que olhe para mim. Um stress! O pai ferve com isto. Eu respiro fundo para equilibrar os ânimos.
Voltei a sublinhar a minha tristeza. Disse-lhe que quero que seja um homem de palavra. Um homem de confiança. Disse-lhe que estava triste e que esperava que não voltasse a acontecer. E que o mínimo que podia fazer era mostrar um mínimo de arrependimento e consternação por ter errado.
E a esperança de que aprenda é a última a morrer...mas isto é desgastante.

Verão para a menina

21 de abril de 2016





Verão para o menino

21 de abril de 2016

Chegou aquela altura do ano em que eu me perco na vertbaudet...
Sou fiel cliente desde que os miúdos nasceram.




*#$%&£$!!!!

20 de abril de 2016

O marido diz que tem uns cupões promocionais e tal e que há 20% de desconto no hipermercado Y e voluntaria-se para ir às compras.
Enviei-lhe a lista.

Previsões
Duração da missão: nunca inferior a três horas 
Taxa de sucesso: artigos correspondentes aos da lista entre os 50 e os 60%
Nº de contactos com a base: = ou > 5

Nota: para evitar erros comprometedores, para alguns artigos foi necessária a inclusão de imagens.
Over and out!

Das coisas que me fazem sorrir

20 de abril de 2016


Naqueles dias em que a minha filha é contrariada e me diz, revoltadíssima:
- não gostas de mim!
Não é falta de amor, rica filha, é falta de paciência para aturar madurezas. 

Do fim-de-semana

18 de abril de 2016

Digamos que a sexta-feira parecia estar a correr mal, quando percebo que o metro não ia andar. Avaria mecânica, disseram. Vai demorar. Peguei nas minhas perninhas e fiz o caminho até casa a pé. Meia hora. Felizmente, os céus tiveram misericórdia de mim e a chuva aguentou-se sem cair até eu estar no conforto do lar. De caminho, atravessei o parque da cidade que estava particularmente verde e viçoso depois da chuva forte que tem caído nos últimos dias.
Patinhos a brincar nas poças, o lago castanho e lamacento. As folhas das árvores e dos arbustos salpicadas por muitas gotas perfeitas e a alameda de árvores que nos saúda à saída (ou à entrada, depende da perspectiva) do parque (a Anne with an "e" teria um nome fabuloso para ela...tenho que divagar um pouco mais e exercitar a minha imaginação). Uma maravilha. Valeu a pena ter caminhado aquele bocadinho.
Ontem o sol espreitou e aqueceu as nossas almas ensopadas. Colhi malmequeres, fiz duas máquinas de roupa, sendo que a segunda já não secou e ficou hoje à mercê dos elementos. À tarde, enquanto os miúdos foram a uma festa de aniversário, eu e o marido fomos até à praia, absorver vitamina D e ver o oceano.
Ao fim do dia, o desafio impôs-se: - mãe, se não posso usar o telemóvel (sim, tem sido uma luta, o whatsapp é um vício, e ela fica horas absorta em conversas com as amigas) faz alguma coisa comigo, senão não tenho nada para fazer. Uma coisa que tu gostes, sem ser ver filmes! (ups!)
Então, sem ser ver filmes, a coisa tem de meter bolos ou livros e como já era um bocado tarde para a primeira hipótese, sugeri ler para ela. Ofereci-lhe o livro da Anne dos Cabelos Ruivos há meses e ela ainda não passou do primeiro capítulo, pelo que ontem avançámos mais dois, e foi em Green Gables que terminámos o nosso domingo. Em breve há mais.

Semana 16

15 de abril de 2016

Chuva e mais chuva, trovoada e relâmpagos com fartura, para dar um efeito mais dramático à coisa. Toda a semana. Trago a primavera para dentro de casa nos meus smoothies de fruta que me têm sabido tão bem. 
Finalmente terminei a manta da Diana. Fiquei muito feliz com o resultado. Os pompons (que também são conhecidos como borbotos ou pipocas) deram o toque final, mais alegre, que eu pretendia e acho que o amarelo também realça as restantes cores.
Ontem experimentei fazer os hamburgueres de feijão preto e quinoa e ficaram ótimos. Aprovadíssimos! Receita AQUI para quem quiser experimentar.
E gostei tanto do primeiro projeto de crochet que arranjei outro. Até porque tenho dois filhos e não seria justo não fazer uma manta para o rapaz também.

- Pois, agora só pensas em crochet!

13 de abril de 2016

Chego à estação do comboio e paro no supermercado para comprar meia dúzia de coisas que fazem falta. O pão não é nada de jeito, por isso opto por ir, de seguida, à padaria mais próxima, que fica mesmo ao cimo das escadas rolantes.
Subo as escadas com dois sacos na mão. Escolher o pão. Pagar o pão. Agarro nos sacos e venho embora........sem o pão. Mas claro que só me apercebi disso quando já estava quase a chegar a casa.

Notícia de última hora!

12 de abril de 2016

Comprei rolos para o cabelo. Daqueles que a minha avó usava.
It's diva time!

{via pinterest}

Crochet time

12 de abril de 2016

Tardes de chuva equivalem a sofá, mas eu não fico só ali a consumir televisão, não...
Crochet é que é fixe!
No domingo cosi mais uma fila. Ontem fiz o presponto à volta e comecei os pompons, que são o toque final do meu primeiro projeto de crochet. Andei um bocado às avessas no início mas com alguma persistência e com a ajuda do tutorial do youtube lá consegui e agora está a dar-me um gozo imenso fazer estas bolinhas giras. Escolhi o amarelo porque é a cor menos utilizada na manta e porque é a cor que a Diana mais gosta.
Update cinematográfico do fim-de-semana (you know me, not a weekend goes by without a movie...or two...ok, or three): sábado à noite estive sozinha (heaven...i'm in heaven ♪♫) e vi o "Joy". Gostei muito, muito. Vejam!
No domingo, vi o "The Peanuts Movie" com os miúdos. É lindo. Amoroso. Vós, pessoas com filhos, vede.

Eu sabia...

12 de abril de 2016

Infelizmente, desta vez, os senhores da meteorologia não se enganaram, pelo que foi sábio da minha parte ter absorvido (e fotografado) a Primavera na sexta-feira. Está a trovejar neste preciso momento e eu olho para estas flores na tentativa de me lembrar que o Inverno, efetivamente, já lá vai. 


No fim de semana só deu isto que se vê. Os smoothies foram a parte boa, claro. Haja morangos, kiwis e bananas, e eu sou sempre um bocadinho feliz.
E olhem que desde que comecei a beber os meus smoothies ao jantar (que equivalem, quase sempre, a 4/5 peças de fruta) o meu intestino anda a funcionar muito melhor, logo, eu fico menos inchada e mais bem-disposta.

In the meantime

8 de abril de 2016

É a neura.

Do "tal" almoço

8 de abril de 2016

Tento não gastar muito em almoços fora e, na maior parte das vezes consigo dividir a coisa irmãmente, "fifty-fifty" como se costuma dizer em bom português (ahahah!). Dois dias de marmita e dois dias fora. À sexta é o pior dia, porque saio à hora de almoço e, para não perder o comboio para a minha margem acabo por engolir uma broa de abóbora do Amor Bio, empurrada com um leite de aveia com chocolate e está feito. Por conseguinte, uma semana, como esta, em que só saí uma vez, é de louvar. E valeu bem a pena! Há que tempos que seguia o Instagram do Frankie, sempre com água na boca, imaginando quando é que ia chegar a minha vez de deitar o dente a um daqueles cachorros, mas da única vez que arriscámos lá ir, foi meia volta e volver, porque a fila era E-N-O-R-M-E.
Ontem fintámos a coisa, tentando chegar à hora de abertura. E compensou. Serviço super rápido, não deixando de ser simpático e atencioso {sem ser aquele estilo meloso/chato, que também me irrita um bocado em certos waiters/waitresses}.
O espaço é muito giro, quer o interior como o exterior. Claro que a je, se não estiver a chover ou a ventar ou temperaturas negativas gosta muito de ar livre, por isso, pus os "pauzinhos ao sol", como o caracol. Limonada com morangos (também havia com maracujá), cachorro Sweet Mango com salsicha vegetariana, batatas fritas que dão, à vontade, para duas pessoas (não sabíamos, por isso atascámo-nos de batatinhas, ó que chatice!) e no fim um pote de sobremesa. A minha colega provou a combinação "tarte de limão merengada" e eu, como sou muito original (sqn) optei pela infalível combinação "trio chocolate" que basicamente é chantilly - caseiro - bolacha maria e mousse de chocolate. Nunca desilude. Vou voltar com o marido e os miúdos, sem dúvida alguma.


E de brinde ainda tive o miminho desta gatinha que, pelos vistos, é a auto-nomeada mascote da casa.
Aparece de vez em quando, através do muro e faz companhia aos clientes. A escolha ontem era óbvia. Me! Eles sabem quem lhes quer bem. ♥

TGIF

8 de abril de 2016

Esta semana, {ainda que os termómetros não tenham sido generosos por aí além, ou então sou eu que ando friorenta} a mãe natureza tem-me brindado com apontamentos de primavera, aqui e ali.
São as maravilhosas flores silvestres que salpicam de cor o caminho que faço até ao metro, malmequeres, cardos, azedas, flores brancas minúsculas, dentes-de-leão, tantas outras que não sei o nome...adoro. ♥ É a minha árvore, que está cheia de folhas novas pequeninas. Verdes. Eu, que só reparei nela quando as folhas já se tinham pintado de amarelo...
Fui muito poupadinha e só almocei fora uma vez {já vos conto tudo}, por isso as horas de almoço no escritório renderam muitos grannysquares.

Damn Spring!

5 de abril de 2016

O ano passado, por esta altura, já andávamos em t-shirt ou mangas de camisa.
Hoje, aproveitando a misericórdia celeste de não haver chuva, resolvi trazer sabrinas em vez dos habituais ténis. 
Já tive de ligar a escalfeta aqui no escritório porque não aguento o frio nos pés. 

Regresso às aulas

4 de abril de 2016

Convenhamos que, regressar à escola depois de quinze dias de férias, sendo sempre custoso, com um dia de chuva destes ainda custa mais. É que ainda não parou de cair! Para quem previa só aguaceiros fracos, isto ultrapassa um bocadinho os limites, não é, senhores-da-metereologia-que-acertam-quase-sempre-ao-lado?
O ar incrédulo do meu filho quando hoje o acordei às 7:15 dava dó.
"A sério, mãe? Já está na hora?"
Pois, diz que sim.
Já a minha filha, por sua vez, reclamou pela injustiça que é não ser paga para andar na escola.
"Pois, mãe, ao menos tu recebes por ires trabalhar. Eu tenho de ir trabalhar e não recebo nada!" - dizia-me ela ao telefone, enquanto comia a sua farinha Pensal.

Aniversários

4 de abril de 2016

O dia 3 é o dia de aniversário da minha sogra e do meu irmão.
O almoço foi nos sogros, o lanche ajantarado foi nos meus pais.
63 e 17, respectivamente.
O tempo voa. O rapaz já tem barba rija e está muito mais alto que eu (admitindo que não é difícil ultrapassar o meu 1.57m).
Ficamos felizes por poder estar presentes e festejar com eles estes dias especiais e tê-los em todos os outros dias do ano.
A minha mãe fez estes folhadinhos com fiambre vegetal e queijo que estavam tão lindos que dava pena comer (qual quê!!! Comi uns 3 e não comi mais por vergonha).
Também fez as minhas sanduíches preferidas (com maionese de alho homemade, ovo cozido, tomate e pepino), mas fiquei desiludida, porque estavam em déficit de ingredientes, graças ao meu irmão, que é um esquisitinho de primeira apanha. Booo!
E o salame de chocolate com um toquezinho de limão, e os folhadinhos de salsicha (vegetal) a salada de frutas. Tudo 5*. Tão boa a comidinha da mãe, mesmo que sejam só aperitivos, salgadinhos e lambarices.

Suculentas

4 de abril de 2016


É verdade que adoro estas plantinhas.
As que estão no vaso grande, na rua, estão lindas.
Depois de observar ao pormenor os pequenos botões que brotaram recentemente, sinto que posso acalentar que esta venha a dar flor. Não acham?

Chuva, again...

4 de abril de 2016

No sábado a chuva achou por bem dar o ar da sua graça e tivémos um dia sombrio, nublado, húmido, frio.
É o ditado a fazer-se valer da fama. Abril, águas mil.
Crochet e chocolate quente com marshmallows, pareceram-me uma boa ideia.
A Diana apanhou uma overdose de açúcar. Fiquei passada da marmita! Mesmo sabendo que compro os marshmallows só para quando faço chocolate quente, à revelia, obliterou todo o pacote em três tempos. Não sei como não vomitou, porque aquilo comido assim é um enjoo só. Ficou de castigo, claro. Esta semana não há doces para ninguém! 

Assim começou Abril

4 de abril de 2016

Com um dia soalheiro, ceú azul...
O pai foi levá-los ao meu trabalho e lá estiveram parte da manhã.
Almoçámos no nosso restaurante italiano preferido e fomos experimentar os gelados do Laboratório do Gelado. Não eram maus mas, sinceramente, continuo a preferir muito mais os da Conchanata.
Não me conquistou. 3€ por apenas um sabor (ainda que num quantidade aceitável) é muito caro. Valeu pela experiência, porque são feitos com azoto líquido, ao momento e os miúdos adoraram ver o vapor a sair das máquinas.
Depois seguimos e fomos fazer os novos CC. Um balúrdio, 15€/pessoa. E sendo que fomos os quatro renovar, doeu. Ficámos a saber que estão quase da mesma altura. 1.45m e 1.43m, 11 e 9 anos, respectivamente.
No fim do dia, chá e bolachinhas em casa da minha irmã, ensaios e o pôr-do-sol no sítio mais lindo do mundo.

Maravilhoso mundo da culinária

1 de abril de 2016

Lição Básica Nº 1: Ovos Mexidos 

Se há coisa que desenrasque a malta num aperto gastronómico é um ovo (mexido, estrelado, escalfado, cozido, you name it).
Seguindo esta ordem de ideias ontem o Gabriel foi iniciado na arte de fazer ovos mexidos, porque cozidos já sabe e estrelados ainda é cedo (eu própria às vezes ainda estatelo alguns e não raras vezes me saltam micro salpicos de azeite a ferver para os olhos, pelo que, o meu coração de mãe ainda não aguenta o risco).

video

Prova superada.

E dissemos adeus a Março

1 de abril de 2016

A manta que estou a fazer para a Diana já está a entrar na reta final. Yay!!
Tenho umas receitinhas novas para experimentar e estou desejosa que chegue a Primavera a sério.
Hoje termina a pausa escolar da Páscoa para os miúdos e daqui até aos dias mais quentes e compridos é um instante, não é?
O prazo dos nossos CC está a chegar ao fim, por isso, hoje, lá nos vamos perfilar no registo, para umas fotos catitas e mandar fazer uns cartões novos. Quer dizer que vieram para Lisboa comigo e que terei companhia especial para o almoço. ☺
Ontem fiz um smoothie delicioso com 2 bananas, 2 kiwis, um pouco de leite côco e uma colher de sobremesa de xarope de agave. Maravilha!
As forminhas giras são do Aldi. Adorei as cores pastel. São bolinhos miniatura com formato de bolo grande. ♥
Proudly designed by | MLEKOSHI PLAYGROUND |