Primeiras vezes

26 de maio de 2015

A minha filha fez depilação pela primeira vez.
Sim, com cera, que nem gente grande e não soltou um ai. 
- fixe, mãe, nem foi assim tão mau, amanhã já posso usar leggings curtas. 
8 anos e 7 meses. É isto, pessoas. Eu tive de aguentar os complexos até aos 12 ou 13 anos, altura em que a minha mãe concordou em que fizesse depilação, apenas e só porque eu, às escondidas, quase arranquei um bife ao tornozelo com uma gillette

Uma década de blog

26 de maio de 2015


Vão longe os tempos de grande troca e partilha.
Hoje escrevo sobretudo para mim mesma, para os meus filhos, para memória futura.
Eles já gostam muito de consultar o arquivo do blog, para ver fotos e vídeos, ler textos. Isso é, para mim, recompensa que baste. 
Não me arrependo e embora escreva muito mais amiúde hoje em dia, não quero fechar a porta a este banco de recordações, que se aqui não estivessem, provavelmente as esqueceria.

Long for...

25 de maio de 2015

Como todos os anos, os miúdos chegam a esta altura e verbalizam, frequentemente, a ansiedade pela chegada das férias. 
Em comparação com as deles, as nossas ainda vêm longe, mas também estamos desejosos de ir arejar para outras paragens.
Contamos que não hajam surpresas e que eles transitem de ano, sem grandes dramas.
A Diana dizia-me esta manhã, ao telefone: - não me apetece ir à escola, só queria ficar em casa contigo...
- logo damos muitos beijos e abraços e conversamos - respondi-lhe eu.
E só assim aceitou desligar o telefone, porque todos os dias diz - mais um bocadinho, mãe, eu quero-te, não te vás embora. E vou a falar com ela ao telefone, desde que saio do comboio, enquanto me dirijo para o metro, no metro, quando saio do metro, até que entro no escritório. 
- olha, agora estou na casa de banho, olha, mãe, espera um bocadinho que vou pôr o leite nos cereais ( e coloca-me em alta voz), olha vou lavar os dentes... 
A minha filha é em tudo intensa. Nas palavras, nas expressões, nos gestos, nos afectos...
Às vezes não sei lidar com isso. Mas o incrível é que, mesmo quando isso a deixa em maus lençóis, ela não se demove com três cantigas. A mim, esta sua faceta exaspera-me, mas no futuro, espero que ela a use para coisas muito boas.
Sei que a mãe que ela recebe ao fim do dia, é um vislumbre da mãe que fala com ela ao telefone de manhã.
Mas espero que essa mãe, cansada, direi até exausta, ainda chegue para que ela sinta o amor que lhe tenho.
Nos dias em que sinto que sou um flop, e em que só me apetece chorar (porque as mães também conseguem ser estúpidas) agarro-me à esperança de que eles me vêem para lá dos meus defeitos e dos meus maus momentos.

Já lhes arranjei entretém para as férias

25 de maio de 2015

O ano passado funcionou muito bem. Sem pressões, mas ajuda a que não esqueçam as matérias.

Ganhar o dia logo às 8h30

21 de maio de 2015

Hoje disseram-me: - estás a fazer dieta? é que estás mais magra.

E foi assim que me espetaram um sorriso nos beiços logo de manhãzinha.
Mas não. Não estou a fazer dieta nenhuma. Só perdi 3,5Kg, mas acredito que se note, porque eu também o sinto. Estou a 5 Kgs do meu ideal, mas não estou obcecada com isso.
Já há quase 2 anos que não bebo leite de vaca, há 3 meses deixei de comer carne, zero doces durante a semana (ao fim-de-semana permito-me uns mimos, porque há toda esta parte social no acto de partilhar refeições com família e amigos, mas tenho tentado fazer sobremesas sem ovos e com pouco açúcar), passei a comer só pão escuro, a comer mais fruta, beber mais água...
Só me falta mesmo dormir mais (e melhor) e arranjar tempo e forma de me mexer.
Sim, fiquei contente. ☺

Diz que somos milionários

20 de maio de 2015

Pelo que, a partir de Janeiro deste ano, para castigo de vivermos à grande e à francesa, deixámos de ter direito a receber o mísero abono de família que nos era generosamente concedido e passámos ao 4º escalão.
Esquecem-se que do salário bruto que declaramos, pelo menos no meu caso, voam quase 260€ por mês em descontos, imposto e sobre taxas, sem falar no meu marido. Enfim...não era muito, mas era canalizado para um pé de meia para os miúdos.
E eu, que sou o cúmulo da distracção, só hoje é que dei por isso. Vá lá, foi antes de chegar ao meio do ano.
Agora dói mais, porque sai do bolo e se a coisa apertar, desistimos da poupança e acabou.
É assim que querem incentivar as famílias a ter filhos.

Do fim-de-semana

18 de maio de 2015



Uma sexta feira muito atarefada a cozinhar. Estava muito calor, pelo que aproveitámos as duas o fim de dia ameno para apreciar o nosso canteiro e trocar uns dedos de conversa, tirar umas selfies e rir um bocado.

Levei as pataniscas e um pudim maravilhoso para o almoço de sábado nos meus pais.

Os miúdos divertiram-se com os primos e eu descansei um pouco, com os mimos da minha sobrinha Chiclet que brindou o meu colo com uma soneca. Tão bom...

What to cook?

15 de maio de 2015

E pronto, estava eu aqui às voltas sobre o que cozinhar para o almoço de amanhã, e eis que a Gabriela publicou uma das receitas que fazem parte deste seu novo livro e fez-se luz. É isto mesmo que vai sair para o almoço de sábado.

Partilho convosco, para ficarem cheias de vontade de ir comprar o livro.

[para ver a imagem maior, clicar com o botão direito do rato e escolher a opção "abrir imagem num novo separador" e depois ampliar]

Wild Cat

14 de maio de 2015

A Sôdona Sardinha anda a ficar demasiado felina para o meu coração mole.
Já é o segundo pardal que resgato das suas garras, condenado a uma morte certa...e lenta. Sim, que ela não quero comer o pobre (digo eu), mas tem particular prazer em persegui-lo até à exaustão.
O Gabriel dorme no sótão. O sótão tem uma velux. A sacaninha já consegue empurrar a janela e vai à caça para o telhado.
Esta noite, tinha eu acabado de me deitar, oiço um frenético bater de asas seguido de um chilrear aflito.
Não queria acreditar! Corri para a porta do quarto, acendi a luz e lá em baixo, ao fundo das escadas, lá estava a minha pequena "pantera" com o dito nas unhacas e a abocanhá-lo para ele parar quieto. Penas por todo o lado. 
Lá levou uma reprimenda e subiu escada acima, e o pardalito escondeu-se atrás do móvel da tv, imóvel, levando-me quase a crer que tinha ido desta para melhor ou que tivesse alguma coisa partida e já não pudesse voar.
Mas não. Graças a Deus, assim que o espicacei lá voou em direcção à porta da cozinha, rumo à vida.
Ouviste Sardinha?
Não se brinca com a comida!
Aliás, a dona compra-te ração. Não tens nada que andar a perseguir amigos voadores.
Como é que a fulana os consegue apanhar é que eu não sei. Qualquer dia ponho-me escondida a ver se filmo a cena, estilo David Attenborough.

InstaDays

12 de maio de 2015


As nossas alfaces biológicas cada vez mais viçosas e saborosas. As novas aquisições para a colecção de PinyPons da Diana. Brincar ao faz de conta. Ler histórias antes de dormir. O melhor bolo de chocolate de sempre. Jantar com o maridinho no Lateral Bistro. Açaí, pela primeira vez. Diana e as suas poses no primeiro dia de praia do ano. Sardinha serena. A minha chaleira d'A Venda chegou e é linda. Jantar de segunda. O meu segundo livro da Gabriela Oliveira já cá canta. Jantar de hoje.
Proudly designed by | MLEKOSHI PLAYGROUND |