1 de Outubro de 2014

Hello October!!!



Ontem foi noite das miúdas lá de casa. Os rapazes foram à bola e nós ficámos por casa.
Dei-lhe banho, fez os trabalhos de casa, comemos qualquer coisa, nada de muito complicado e depois...depois ela quis ver um dvd da coleção que fiz para ela (e para mim, confesso, porque há pedaços da nossa infância que gostamos de guardar) dos desenhos animados da Ana.
Achei que um dia ela iria gostar. Ontem foi o dia. Ainda nos rimos com algumas das tiradas dramáticas da Ana. Foi bom o momento de partilha e a melhor forma de começar Outubro.


29 de Setembro de 2014

Faltam 12 dias

E ela não me deixa esquecer.

[via weheartit]

Máquina do tempo

[1985]

Há fotos que nos abraçam, aquecem, enternecem.
Já fui pequenina. É um facto.
Mas às vezes, depois de um tempo a sermos adultos, parece que caímos numa amnésia selectiva e guardamos o ser pequenino que fomos numa gaveta esquecida, que quase nunca nos lembramos de revisitar. Como se tivéssemos chegado aqui sem ter passado por lá.
Esta foto trouxe-me tanta coisa boa. Tantas pessoas que guardo no coração, como se guardam as memórias mais valiosas da nossa infância. E é verdade o que se diz, que quem dividiu os verdes anos connosco ficará para sempre entesourado em nós da forma mais profunda e pueril.
Quase consigo sentir o babete de folhos daquele vestido que trago na foto e as mangas de balão que tanto gostava. Tenho o peito esticado, talvez para parecer mais alta e não perder o meu lugar na escadinha de primos, que não eram meus, de sangue, mas hão-de ser sempre, de coração.
Tive uma infância feliz. Muito porque eles fizeram parte dela. 
Obrigado, primo Rogério, por este mimo maravilhoso.
Quero mais!

Não lerás as sms do teu filho...

Porque a ignorância às vezes é uma ilusão bonita, mas a tentação é maior.
Eles são, verdadeiramente, outros quando estão fora da nossa alçada.
Uns mais outros menos, mas acho que se passa com todos os miúdos, não é só com o meu.
Este é um choque para os pais. Estou a falar por mim, e não falo de choque, de uma forma dramática, mas no sentido de um acordar para a realidade. Aquele baque. Imaginamos os nossos meninos queridos de uma maneira e depois percebemos que afinal até são mais confiantes e extrovertidos do que demonstram. Ou o contrário, que também acontece.
Tenho um D. Juan em casa e não sabia. 
Enquanto isso não interferir com o seu aproveitamento, a minha boca será um túmulo.


28 de Setembro de 2014

Outubro ao virar da esquina




Mas depois dos dias de chuva e trovoada que tivemos, hoje fomos até à praia. 
Não sou uma "beach-person", confesso. Gosto, mas não adoro. Dêem-me antes uma floresta e rio, que eu fico delirante. 
O pai cá de casa é exactamente o oposto. Haja nesga de sol digna do nome e ele quer ir logo tomar banhos de sol e de mar.
Dizem, e eu comprovo, embora só tenha molhado os pés...ok, as pernas, até ao joelho, vá, que a água estava óptima.
E assim aguardamos uma semana de Outono, mais quente que o normal. 

Quase 8 anos...

- mãe, este filme é de piadas?
- não.
- é de matar?
- não, filha, é de amor.
- ah, então quero ver.

26 de Setembro de 2014

Quase 10 anos...

Ontem, o mais velho pediu-me para ir ao youtube descarregar algumas músicas para o seu telemóvel. 
No meio de várias, que fomos seleccionando, diz-me:
- manda-me esta, que as miúdas gostam.

25 de Setembro de 2014

All the beautiful things

Este é um dos blogs que mantém a minha inspiração em altas, mesmo em dias mauzinhos. As fotos da Loreta são de um talento...
Ela está a fazer um giveaway e eu, muito embora não esteja habituada a ganhar nada nestes passatempos, achei que era simpático publicitar o trabalho dela e o blog fabuloso que tem.
Até porque os postais que ela está a oferecer são sobre o Outono. Lindos de morrer!
Também podem sempre visitar a sua loja Etsy.


24 de Setembro de 2014

Fins de tarde

Hoje, no meio da lufa-lufa do fogão, consegui fazer uns cliques enquanto ela brincava com uma amiga lá fora, aproveitando o facto de não estar a chover.
Hoje dizia-me:
- mãe, sabes porque não me consigo portar bem?? Porque há coisas que quero fazer à minha maneira. Quero ser eu a mandar.
Expliquei-lhe que obedecer ao pai e à mãe nos ensina a ser humildes. Que aquilo que nos custa fazer ao princípio depois torna-se mais fácil e até sabe bem. Que quando somos humildes é mais fácil os outros ouvirem o que temos para dizer. E eu sei que ela tem sempre muito para dizer.
Depois esteve 40 minutos a tomar banho, semi-alagou a casa de banho, o pai passou-se e ... bom ... ainda não foi desta que o meu discurso fez efeito. Um dia...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...